Ação na justiça questiona a prática de transplantes

Publicado em: 26/06/2000
Fonte: JORNAL DO BRASIL
Editoria: Brasil
Página: 05
Edição: 1ª



PORTO ALEGRE _ Setenta e duas pessoas ingressam hoje na Justiça Federal do Rio Grande do Sul com uma interpelação judicial contra o Conselho Federal de Medicina para que responda a 39 quesitos relacionados com a morte encefálica, base para transplantes. A ação é baseada no “direito constitucional à vida e na ética médica”.  O grupo reúne advogados, psicólogas, engenheiros,  empresário e até uma juíza do trabalho.

Os autores da ação questionam a base científica dos critérios e testes aprovados pelo Conselho Federal de Medicina para caracterizar a morte encefálica.  Na prática, caso alguns testes sejam reformulados,  a medida poderá significar _ segundo os autores da ação _ a salvação e recuperação de 7 mil das 10 mil pessoas em média atingidas com traumatismo craniano por ano no país.   São elas, exatamente, que recebem o diagnóstico de morte encefálica e estão sujeitas a fornecer órgãos para transplantes.

A interpelação judicial, feita também contra a União e o Conselho Regional de Medicina do Rio Grande do Sul,  se confronta contra toda a estrutura de transplantes do país, criticando a prioridade e vantagens inclusive financeiras dadas por lei federal para pagamento de atividades referentes a transplantes na UTIs dos hospitais em detrimento do atendimento dos pacientes iniciais (futuro doador de órgãos) que não encontram atendimento adequado ou similar ao entrarem nos hospitais.

Outros pacientes_ A interpelação questiona também a resolução 1480 do CFM, que foi a regulamentação da Lei de Transplantes, por incluir, entre outras coisas, o teste da apnéia (desligamento de aparelhos respiratórios por até 10 minutos). Este teste é caracterizado como “teste homicida, por induzir, agravar e levar à morte dos pacientes”, conforme acusa o idealizador da ação, o advogado gaúcho Celso Galli Coimbra.

O ambicioso objetivo final destas 72 pessoas é ajudar a provocar uma “mudança  na medicina brasileira, em que se priorize a prevenção:   80% dos necessitados de transplantes no Brasil são originários de doenças renais provenientes da hipertensão”, diz Celso Galli Coimbra.   “Se o governo incentivasse que se gaste apenas a saliva dos médicos nesta orientação anti-hipertensão não teríamos gastos elevadíssimos com a indústria médico-transplantista, nem esta fila de 25 mil pessoas à espera de transplantes”.


Análises _ A base científica da interpelação judicial são dezenas de estudos, pesquisas e atendimentos bem sucedidos em pacientes, em várias partes do mundo, resultados de análises nos últimos 10 anos de uma nova geração de neurologistas, entre os quais está o neurologista Cícero Galli Coimbra  (irmão de Celso), da Escola Paulista de Medicina. Seu trabalho, divulgado pelo JORNAL DO BRASIL em sucessivas reportagens desde 1997, foi publicado ano passado na mais respeitada revista científica brasileira, a “Brazilian Journal of Medical and Biological Research”. Isso significou o reconhecimento pela comunidade científica nacional e internacional da validade da pesquisa.

Sucessivos trabalhos, como o de Cícero, mostram que os exames atuais, mesmo o mais seguro deles, a angiografia cerebral, não detectam um nível de fluxo sanguíneo muito baixo no cérebro, como ocorre em casos de traumatismos cranianos, insuficiente para que as células cerebrais realizem suas funções, mas que são suficientes para mantê-las vivas. Com isso e com o uso de tratamentos como a da hipotermia (esfriamento do corpo a 33 graus), mostrados por Cícero, uma média de 70% de pacientes antes caracterizados tendo morte encefálica, se recuperaram e voltaram à vida e ao trabalho normais, conforme comprovado em tratamentos em várias partes do mundo, como no Japão.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: