Mulheres que fizeram aborto têm 30% mais problemas mentais

Aborto: debate na TV Justiça, no STF, em junho de 2007

Publicado na segunda-feira, 1 de dezembro de 2008, 12:09

Segundo pesquisa, problemas mentais relacionados ao aborto são até 5,5% do total.

Mulheres que se submetem a abortos têm 30% mais chance de terem problemas mentais do que as mulheres que nunca passaram por isso, segundo uma pesquisa publicada na última edição da publicação científica British Journal of Psychiatry.

Segundo a pesquisa, que acompanhou 500 mulheres, ansiedade e abuso no uso de drogas são os problemas mais comuns verificados em mulheres após um aborto.

Os pesquisadores, da Universidade de Otago, na Nova Zelândia, dizem que os problemas mentais possivelmente relacionados ao aborto representariam entre 1,5% e 5,5% de todos os problemas mentais verificados nas mulheres.

O estudo não encontrou nenhuma evidência de que outros problemas relacionados à gravidez possam provocar algum aumento perceptível de problemas mentais.

Argumentos avaliados

O coordenador do estudo, David Fergusson, acredita que a conclusão da pesquisa pode ter implicações sobre a decisão de se realizar um aborto, já que muitas vezes essa decisão se baseia no possível impacto negativo de seguir em frente com uma gravidez indesejada sobre a saúde mental da mulher.

A conclusão dos estudiosos “claramente estabelece um desafio ao uso de argumentos psiquiátricos para justificar o aborto”, disse ele, em declarações publicadas pelo diário britânico The Daily Telegraph.

“Não há nada neste estudo que sugira que a interrupção de uma gravidez esteja associada com menores riscos de problemas mentais que o nascimento”, afirmou Fergusson.

“Para algumas mulheres, o aborto pode ser um evento estressante e traumático que as coloca em um risco modestamente mais elevado de uma série de problemas mentais comuns.” BBC Brasil

Publicado pelo estadao.com.br em 01 de dezembro de 2008

http://www.estadao.com.br/vidae/not_vid286567,0.htm

http://bjp.rcpsych.org/cgi/content/abstract/193/6/444

http://noticias.terra.com.br/ciencia/interna/0,,OI3364392-EI298,00.html

http://g1.globo.com/Noticias/Ciencia/0,,MUL884680-5603,00.html

http://cienciaesaude.uol.com.br/ultnot/bbc/2008/12/01/ult4432u1858.jhtm

http://gazetaonline.globo.com/_conteudo/2008/12/37364-mulheres+que+fizeram+aborto+tem+30+mais+problemas+mentais+diz+estudo.html

leia também:

https://biodireitomedicina.wordpress.com/2008/11/22/impossibilidade-de-legalizacao-do-aborto-no-brasil-desde-sua-proibicao-constitucional-de-ir-a-deliberacao-pelo-poder-legislativo/

23 Respostas to “Mulheres que fizeram aborto têm 30% mais problemas mentais”

  1. Dilma Roussef: há uma única pergunta certa para fazer-lhe sobre o aborto! | Objeto Dignidade Says:

    […] Mulheres que fizeram aborto têm 30% mais problemas mentais […]

  2. Vídeos e textos sobre a legalização do aborto no Brasil | Objeto Dignidade Says:

    […]   Mulheres que fizeram aborto têm 30% mais problemas mentais […]

  3. Falsidades em torno da questão do aborto | Objeto Dignidade Says:

    […] Mulheres que fizeram aborto têm 30% mais problemas mentais […]

  4. O governo brasileiro e a falácia sobre aborto | Objeto Dignidade Says:

    […] Mulheres que fizeram aborto têm 30% mais problemas mentais […]

  5. O mito da medicina cubana e médicos cubanos no Brasil | Objeto Dignidade Says:

    […] Mulheres que fizeram aborto têm 30% mais problemas mentais […]

  6. Sem-terra formados em Cuba pedem importação de médicos | Objeto Dignidade Says:

    […] Mulheres que fizeram aborto têm 30% mais problemas mentais […]


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: