Vitamina D pode revolucionar o tratamento da esclerose múltipla

Sobre este assunto, assista:

Vitamina D – por uma outra terapia

http://biodireitomedicina.wordpress.com/2012/04/12/vitamina-d-por-uma-outra-terapia/

Assista também este outro vídeo, de 18 de junho  de 2012

Vitamina D – Sem Censura – Dr. Cicero Galli Coimbra e Daniel Cunha

https://www.youtube.com/watch?v=cIwIWim4hNM&list=UU5grjCGNi25VAR8J0eVuxVQ&index=1&feature=plcp

Dose mínima diária para pessoas saudáveis: 10.000 UI

__

www.caasp.org.br

Terça-Feira, 25 de Maio de 2010

A esclerose múltipla é uma doença autoimunitária que afeta o sistema nervoso central e que, em estágio avançado, incapacita para as atividades mais corriqueiras. Fraqueza muscular, rigidez nas articulações e perda da coordenação motora são alguns dos sintomas. Sua evolução leva a insuficiência respiratória, incontinência ou retenção urinária e até a perda da visão e da audição. Em todo o mundo, 2,5 milhões de pessoas sofrem de esclerose múltipla. No Brasil, há 35 mil casos, segundo a Abem (Associação Brasileira de Esclerose Múltipla).

O tratamento tradicional da esclerose múltipla é feito com o medicamento Interferon e corticosteroides, além de fisioterapia e fonoaudiologia, e os resultados apontam para a redução em 30% das crises da doença. Porém, estudos publicados em revistas científicas internacionais indicam que a chave para o problema é a vitamina D. No Brasil, o maior defensor da inovação terapêutica é o neurologista Cícero Galli Coimbra, professor da Universidade Federal de São Paulo. “A vitamina D, daqui a alguns anos, será a base do tratamento não só da esclerose múltipla, mas de todas as doenças autoimunitárias”, prevê o especialista.

“Nas células do sistema imunológico, a vitamina D tem a função de produzir o que se chama de tolerância imunológica, ou seja, de impedir que essas células agridam o próprio organismo, que é o que acontece nas doenças autoimunitárias”, explica Coimbra. Nas pessoas com pré-disposição genética para doenças autoimunitárias, a transformação da vitamina D inativa em ativa (hidroxilase) dentro das células do sistema imunológico é lenta, o que favorece o surgimento desse tipo de doença. “Hoje, já se sabe que o risco de esclerose múltipla aumenta quando se têm níveis baixos de vitamina D. O que propomos é a elevação dos níveis de vitamina D ao ponto máximo que não provoque efeitos tóxicos ao organismo. O sucesso  do tratamento com vitamina D vem sendo demonstrado e a única dúvida que resta é quanto aos níveis que se devem atingir para que se obtenha o efeito ideal”, esclarece.

O benefício da vitamina D fica ainda mais nítido, diz Coimbra, se observarmos que os casos de esclerose múltipla são muito mais frequentes nos países nórdicos, como as nações escandinavas e o Canadá, onde a exposição da população aos raios solares é muito baixa. O sol, como se sabe, é a principal fonte de vitamina D com a qual contamos. “A radiação solar da manhã e do final da tarde faz com que o nosso organismo produza vitamina D. Uma pessoa que fique na beira da piscina de sunga, com 90% do corpo exposto ao sol por apenas 10 minutos, produz mais vitamina D do que a contida na dose diária normalmente recomendada pelo médicos. Mas atenção: o mesmo não acontece com o sol do meio-dia, que provoca câncer de pele”, orienta o médico.

A esclerose múltipla, bem como as outras doenças do sistema imunológico, é um mal dos tempos modernos – e isso também tem a ver com o sol. Nossos antepassados sofriam muito menos com isso. “Nossos avós tinham uma vida na lavoura, iam à feira livre fazer compras. Hoje, nós pegamos o metrô, descemos num shopping center, entramos num carro com Insulfim, descemos na garagem de um prédio e subimos de elevador. Como toda doença autoimunitária, a esclerose múltipla aumentou muito nos dias atuais. Nosso nível de exposição solar é hoje quase o mesmo que o dos ratos de laboratório”, adverte Cícero Coimbra.

O especialista da Unifesp salienta que a vitamina D com fins terapêuticos deve ser consumida sob rigorosa orientação médica, pois os níveis necessários para a eficácia do tratamento são muito mais altos do que os que se encontram nos produtos vendidos em farmácias. “Não se consegue administrar doses que tenham efeito terapêutico apenas com os produtos à venda nas drogarias. Para efetuarmos o tratamento, ainda dependemos de formulações feitas em farmácias de manipulação”, sublinha.

Segundo Coimbra, a resistência à adoção definitiva da vitamina D no tratamento de doenças autoimunitárias deve-se ao lobby da indústria farmacêutica, que se sobrepõe aos estudos científicos. “O nosso grande problema é que esse conhecimento, que consta de revistas científicas internacionais, ainda não está incorporado ao armamento terapêutico do médico neurologista comum, que fica atento quase que exclusivamente aos lançamentos dos laboratórios. Mas a verdade é que o tratamento tradicional, basicamente com Interferon, está sendo superado e, na minha ótica, daqui a alguns anos o tratamento de todas as doenças autoimunitárias envolverá a elevação dos níveis de vitamina D ao máximo possível, sem a ocorrência de efeitos colaterais, como muitos casos já demonstram. Trata-se do restabelecimento de um mecanismo que a própria natureza do ser humano criou ao longo da evolução da espécie, justamente com o objetivo de impedir a agressão do organismo pelo sistema imunológico”, desabafa.

Mulheres jovens e estresse

As mulheres adultas jovens são as principais vítimas da esclerose múltipla, doença que decorre da predisposição genética à baixa hidroxilase, isto é, ao baixo índice de transformação da vitamina D inativa em ativa, o que faz com que as células do sistema imunológico ataquem o sistema nervoso central ao invés de agredirem vírus e bactérias. Esses ataques ocorrem de modo intermitente, daí os surtos que caracterizam a doença. A ciência já comprovou que o estresse emocional é o principal fator desencadeador dessas crises. “Em 2002, um estudo muito ilustrativo, que acompanhou pessoas portadoras de doenças autoimunitárias, verificou que 85% dos surtos estavam associados a eventos estressantes. Em média, esses eventos haviam ocorrido 14 dias antes da exacerbação dos sintomas da doença, ou seja, antes de um novo ataque do sistema imunológico”, relata Cícero Coimbra.

No passado, como os sintomas são variados e acometem diversas áreas do corpo, os portadores de esclerose múltipla eram confundidos com indivíduos em crise de histeria. “É a multiplicidade de lesões no sistema nervoso que caracteriza a doença, daí o termo ‘múltipla’”, diz o neurologista. “Na esclerose múltipla, o neurologista não consegue explicar todos os sintomas por meio de uma única lesão no sistema nervoso. Por isso, o que leva ao diagnóstico são sintomas que só são explicados por lesões em diferentes áreas do sistema nervoso, como na medula espinhal e no nervo ótico”.  O diagnóstico da doença só se fecha após a combinação dos resultados de exames de ressonância magnética, do líquor encéfalorraquidiano e de análise das manifestações clínicas.

O acumulo de sequelas deixadas por cada um dos surtos é o que agrava o quadro do paciente. “Com o aumento da frequência dos surtos a pessoa vai adquirindo sequelas cumulativas que comprometem sua capacidade de andar, de falar. Ela pode evoluir para uma situação de dependência de uma cadeira de rodas e até ficar completamente cega”, ressalta Coimbra. E vai além: “Se não se corrigirem os níveis de vitamina D, a tendência é que, mesmo com o uso de Interferon, a pessoa vá acumulando surtos cada vez mais frequentes e sequelas. Com o tempo, perde-se o controle da bexiga, o que provoca infecções urinárias – e infecções também fazem com que ocorram novos surtos. A partir de então, o doente passa a ficar permanentemente acamado, situação que favorece problemas como broncopneumonia e outros”.

O avanço definitivo no tratamento da esclerose múltipla, aposta o neurologista Cícero Galli Coimbra, ainda deve tardar alguns anos, mas com certeza virá quando forem ultrapassadas as barreiras que impedem a disseminação do uso da vitamina D. “Podemos até esperar algumas décadas, mas com certeza isso irá ocorrer”, acredita. E faz um alerta muito sério: “Cuidado com certos remédios que vêm sendo lançados no mercado, os chamados agentes biológicos para tratamento de doenças autoimunitárias, que são anticorpos produzidos em outros animais. Trata-se de drogas caríssimas e que colocam em risco a vida da pessoa, pois podem provocar um choque anafilático, ou então o efeito depressor do sistema imunológico, de tão acentuado, pode causar uma infecção grave por um germe oportunista”.

http://www.caasp.org.br/Noticias.asp?cod_noticia=1679

*Matéria publicada originalmente no Jornal do Advogado, edição de maio de 2010.

Vitamina D pode combater males que mais matam pessoas no mundo

__

http://biodireitomedicina.wordpress.com/2011/03/23/informacoes-medicas-sobre-a-prevencao-e-tratamento-de-doencas-neurodegenerativas-e-auto-imunes-como-parkinson-alzheimer-lupus-psoriase-vitiligo-depressao/

__

Uso de vitamina D no tratamento de esclerose múltipa

About these ads

64 Respostas to “Vitamina D pode revolucionar o tratamento da esclerose múltipla”

  1. Vera Maria Says:

    Gostaria de saber mais sobre o tratamento com a vitamina D em casos de esclerose múltipla,que exames devo fazer para levar ao consultório,pacientes tratados e melhora de seus quadros clínicos,etc.

  2. Informações sobre o atual conhecimento cientifico relativos à prevenção, cura e recuperação da esclerose múltipla (e.m.) « Objeto Dignidade Says:

    [...]  http://biodireitomedicina.wordpress.com/2010/08/03/vitamina-d-pode-revolucionar-o-tratamento-da-escl… [...]

  3. Cristiane Rozicki Says:

    ~ Importancia da vitamina D e do metabolismo ~

    O que os cientistas e pesquisadores têm certeza há anos, a contar dos primeiros anos da década de 2000 e antes já sabiam, é da importancia da vitamina D para doenças autoimunes, cardiovasculares, câncer e diabetes. Porque, como muitos explicaram, Collen Hayes e Cícero Galli Coimbra, dentre cientistas por exemplo, foi preciso descobrir o motivo porque, mesmo em territórios de clima temperado, alguns grupos de pessoas desenvolviam esclerose múltipla e outros não. Alimentação apropriada foi a explicação. O alto consumo de peixes de águas geladas, cuja gordura é rica em Vitamina D, Omega3, como também o consumo de óleo de fígado de bacalhau, forneceu ao sangue humano a hormona 25hidroxivitamin D e as pessoas não desenvolveram nem raquitismo nem esclerose múltipla, embora tivessem a herança genética da doença. Hoje já se sabe que a vitamina D é o link que faltava também para o Alzheimer.

    MUITOS AUTORES EXPOEM PESQUISA NO MESMO SENTIDO

    Lembro quando da noticia destas pesquisas. Há quem escreveu, li na internet, que isto não é verdade. Porem, “The role of vitamin D in multiple sclerosis” é pesquisa acompanhada de centenas e milhares de outras varias em idêntico sentido. Doutores, de todos os países do planeta, vêm mostrando a importancia da vitamina D para outras doenças também, muito alem da esclerose múltipla. Basta fazer pesquisa e escrever: vitamin d multiple sclerosis ou vitamin d Alzheimer ou o mesmo com qualquer outra patollogia que se pretenda pesquisar, câncer, diabetes, artrite reumatoide, psoriase, e muitas outras.

    A internet brasileira tem informação em portugues. Aqui no Brasil, o primeiro médico a oferecer este conhecimento publicamente foi Dr. Cícero Galli Coimbra [PHD Médico Neurologista e Professor Livre-Docente, Departamento de Neurologia e Neurocirurgia – Universidade Federal de São Paulo – Unifesp/EPM]. Alguns artigos e entrevista com Dr. Cícero Galli Coimbra:

    Vitamina D é importantíssima para a saúde
    Disponível em http://biodireitomedicina.wordpress.com/category/a-prevencao-de-doencas-neurodegenerativas/

    Vitamina D pode revolucionar o tratamento da esclerose múltipla*
    http://biodireitomedicina.wordpress.com/2010/08/03/vitamina-d-pode-revolucionar-o-tratamento-da-esclerose-multipla/
    *Dr. Cícero Galli Coimbra
    PHD Médico Neurologista e Professor Livre-Docente

    A cura com Dr. Cícero Galli Coimbra. Estresse emocional, depressão, doenças autoimunes e neurodegenerativas. A importancia da Vitamina D.

    “Comentário: a principal razão pela qual a medicina atual desdenha estes importantes conhecimentos médicos já antigos e com ampla fundamentação na história recente da medicina e confirmados em vários países, através de diversas publicações, é simplesmente porque ela está subordinada aos interesses extremamente gananciosos da indústria farmacêutica internacional.”

    http://biodireitomedicina.wordpress.com/2011/03/23/informacoes-medicas-sobre-a-prevencao-e-tratamento-de-doencas-neurodegenerativas-e-auto-imunes-como-parkinson-alzheimer-lupus-psoriase-vitiligo-depressao/

    http://biodireitomedicina.wordpress.com/category/doencas-autoimunes/
    —-

    O que é possível dizer em breves palavras, já oferece um quadro preocupante. A insuficiência de vitamina D tem desenvolvido muitas outras doenças, alem do raquitismo e da osteoporose, que já são aceitas como “comuns” e típicas da medicina das doenças crônicas.

    Associadas á deficiencia de vitamina D estão o câncer, as diabetes, problemas cardiovasculares, transtorno bipolar, autismo, mal de Alzheimer e esquizofrenia, psoríase, depressão. O comercio industrial multimilionário da farmácia, não traz a cura, apresenta medicação cara e talvez paliativa. Diz assim a medicina das doenças crônicas: “a sua doença não tem cura”… E, no entanto, todas essas doenças graves sequer teriam desenvolvido nas pessoas, se existisse o cuidado com a medicina preventiva com a suplementação da vitamina D.

    Os médicos vêm apresentando pesquisa que aponta o aumento de epidemias em todo planeta, por causa da falta de investimento dos governos em saúde preventiva com suplementação da vitamina D.

    Vitamin D deficiency: a global perspective http://objetodignidade.wordpress.com/2011/08/15/vitamin-d-deficiency-a-global-perspective/

    Deficiência de vitamina D: uma epidemia global
    http://objetodignidade.wordpress.com/2011/08/15/deficiencia-de-vitamina-d-uma-epidemia-global/

    Symposium: Vitamin D Insufficiency: A Significant Risk Factor in Chronic Diseases and Potential Disease-Specific Biomarkers of Vitamin D Sufficiency Vitamin D Intake: A Global Perspective of Current Status
    http://objetodignidade.wordpress.com/2011/08/15/symposium-vitamin-d-insufficiency-a-significant-risk-factor-in-chronic-diseases-and-potential-disease-specific-biomarkers-of-vitamin-d-sufficiency-vitamin-d-intake-a-global-perspective-of-current-s/

    Brasil ainda investe pouco em saúde País investe apenas 8,7% do valor arrecadado com impostos em saúde. Número é inferior ao de países como Argentina, Chile e Venezuela Um estudo realizado pela Fundação Instituto de Administração da Universidade de São Paulo (USP)
    http://objetodignidade.wordpress.com/2011/08/05/brasil-ainda-investe-pouco-em-saude/

    O aumento da Deficiência de vitamina D geralmente se apresentava como deformidade óssea (raquitismo) ou hipocalcemia na infância e como dor músculoesquelética e fraqueza em adultos.

    Hoje os estudos são avançados e os médicos constataram muitos outros problemas de saúde, incluindo doenças cardiovasculares, diabetes, vários tipos de câncer, e autoimunes como mal de Alzheimer e esclerose múltipla, hipo e hipertireoidismo, artrite, vitiligo, associadas á alta insuficiência de vitamina D no sangue.

    O status da vitamina D é mais confiável determinado pelo ensaio de soro de 25-hidroxivitamina D (25-OHD).
    O consenso entre os médicos definiu a medida da nanoterapia como ideal acima de 50. Abaixo de 50 já existe deficiencia mesmo que a pessoa ainda não apresente qualquer sintoma de doença. Isto significa que há meio de baixo custo para a prevenção de epidemias. A suplementação e reposição da colecalciferol, a vitamina D3 a vitamina D3, deve ser feita em altas doses. Muito alem das convencionadas mg da medicina do passado, para ter uma idéia uma gota da solução de colecalciferol tem 1.000 UI [unidade internacional].

    O espectro dessas doenças comuns e graves, é particularmente preocupante porque os estudos observacionais têm demonstrado que a insuficiência de vitamina D, Raquitismo em crianças e osteomalacia em adultos são apenas manifestações clássicas de deficiência de vitamina D profunda. Nos últimos anos, no entanto, aparecem doenças não músculoesqueléticas condições incluindo câncer, síndrome metabólica, infecciosas e doenças autoimunes, esclerose múltipla, doenças que também foram encontrados associados aos baixos níveis de vitamina D. O Aumento da prevalência de distúrbios ligados à deficiência de vitamina D, é refletida no aumento do numero de crianças doentes.

    Epidemias crescem se não for dada nutrição adequada e suplementos á toda população. Este é o cuidado que o governo brasileiro deve ter com todas as pessoas, indistintamente, em todas as idades.

    Dilma e Lula não sabem disso, e desde 2008 favorecem pesquisas com células de embriões e abortos.

    “É interessante notar que as geografias de raquitismo (Hess, 1929) e MS são muito semelhantes, a geografia do raquitismo levou Sniadecki (citado por Holick, 1995) para sugerir em 1822 que o sol pode curar o raquitismo. Lamentavelmente, diz Hayes, o raquitismo continuou a aleijar crianças por um século inteiro antes de investigadores demonstrarem os benefícios da luz solar ou óleo de fígado de bacalhau (Hess & Unger, 1921; Chick et al. 1922). Hoje o óleo de fígado de bacalhau tornou-se a proteção do “inverno” para as crianças que vivem em latitudes setentrionais.”
    Ver Vitamin D: a natural inhibitor of multiple sclerosis, de Collen Hayes:
    Disponivel em http://journals.cambridge.org/action/displayFulltext?type=1&fid=796912&jid=PNS&volumeId=59&issueId=04&aid=796900

    “A evidência de que a vitamina D pode ser um inibidor natural de MS ou E.M. é irresistível. Examinando o benefício da suplementação de vitamina D para a prevenção de MS, a recusa desta verdade vai exigir um grande esforço por parte da comunidade científica, mas é claramente justificada diante dos atuais investimentos político-economicos”, diz Collen Hayes.

    Ver Vitamin D: a natural inhibitor of multiple sclerosis, de Collen Hayes:
    Disponivel em http://journals.cambridge.org/action/displayFulltext?type=1&fid=796912&jid=PNS&volumeId=59&issueId=04&aid=796900—-

    As pessoas que têm doenças como Alzheimer, esclerose múltipla, lúpus, hipo e hipertireoidismo, artrite, vitiligo, diabetes, câncer e outras doenças autoimunitárias, hoje são orientadas por médicos e pesquisadores a consumir a solução oleosa [óleo de girassol ou oliva] de colecalciferol, a vitamina D3. A 25hidroxivitamin D3 é de fácil absorção pelo organismo. Passando do fígado aos rins e, depois de transformada em ativa, é absorvida por todas as células de todos os tecidos do corpo humano, como cálcio, fósforo e outras substancias, fortalecendo e recuperando inclusive o tecido neural.

    A DEFICIENCIA ou INSUFICIENCIA DA VITAMINA D é verificada em exame de sangue, o 25[OH]D3 que o sistema de saúde publica do Brasil não oferece. O consenso entre os médicos definiu a medida da nanoterapia como ideal acima de 50. Abaixo de 50 já existe deficiencia mesmo que a pessoa ainda não apresente qualquer sintoma de doença. Isto significa que há meio de baixo custo para a prevenção de epidemias. A suplementação e reposição da colecalciferol, a vitamina D3, deve ser feita em altas doses. Muito alem das convencionadas 30 mg pela medicina do passado, para ter uma idéia uma gota da solução de colecalciferol tem 1.000 UI [unidade internacional].

    E há SIM UM DISTURBIO METABOLICO, pois, se as pessoas com resultado do exame de sangue abaixo de 50, já estiverem recebendo alimentação apropriada, existe indicio de dificuldade digestiva na absorção dos alimentos, depressão, estresse e tristeza que impedem a neurogenesis.

    “Revisando-se a literatura, verificamos que a carne vermelha libera, durante a digestão, a substância hemina, que possui propriedades tóxicas, porque penetra as membranas celulares carregando ferro para o interior das células, onde este eleva a produção de radicais livres. Para evitar tal efeito, a hemina é destruída, em sua maior parte, na própria célula intestinal (e o restante, no fígado), utilizando a vitamina B2. Tornou-se claro, então, que o indivíduo absorve a hemina, não tendo então a B2 para destruí-la. Assim, solicitamos a parada completa da ingestão de carne”. Coimbra acrescenta que o tratamento tradicional contra a doença, à base de medicamentos, deve ser concomitante à dieta proposta pelos pesquisadores.
    [...]
    SBPC/Labjor – Brasil
    Disponível em http://www.comciencia.br/noticias/2003/06jun03/parkinson.htm
    ——

    Vitamina D pode revolucionar o tratamento da esclerose múltipla*
    http://biodireitomedicina.wordpress.com/2010/08/03/vitamina-d-pode-revolucionar-o-tratamento-da-esclerose-multipla/
    *Dr. Cícero Galli Coimbra
    PHD Médico Neurologista e Professor Livre-Docente

    Informações médicas sobre a prevenção e tratamento de doenças neurodegenerativas e autoimunes, como Parkinson, Alzheimer, Lupus, Psoríase, Vitiligo, depressão
    Dr. Cícero Galli Coimbra
    PHD Médico Neurologista e Professor Livre-Docente
    http://biodireitomedicina.wordpress.com/category/doencas-autoimunes/

    Sistema nervoso – 06/02/2009. Entrevista com Dr. Cícero Galli Coimbra. Evitar o envelhecimento e a perda de neuronios.
    http://www.youtube.com/watch?v=yRQkITHjZ5k&feature=player_embedded# —-

    “a situação fundamental é a mesma: a existência de um DISTÚRBIO METABÓLICO evidente e corrigível, capaz de explicar os eventos fisiopatológicos conhecidos, e cuja correção pode deter a progressão da doença (interrompendo a continuidade da morte neuronal crônica, recuperando células neuronais já afetadas pelo processo neurodegenerativo – mas que não atingiram ainda o ponto de irreversibilidade), promover a recuperação total em casos de início recente, ou ao menos parcial das deficiências neurológicas nos casos mais avançados (minimizando seqüelas permanentes) e impedir a morte.” [1]
    [1] Dr. Cícero Galli Coimbra
    PHD Médico Neurologista e Professor Livre-Docente
    Departamento de Neurologia e Neurocirurgia – Universidade Federal de São Paulo – Unifesp/EPM – Sofrimento emocional. – Em defesa da administração de doses elevadas de riboflavina associada à eliminação dos fatores desencadeantes no tratamento (…).

    Disponivel em
    http://www.unifesp.br/dneuro/nexp/riboflavina/
    —-
    Dr. Cícero Galli Coimbra
    PHD Médico Neurologista e Professor Livre-Docente
    http://biodireitomedicina.wordpress.com/category/doencas-autoimunes/
    —-

    Vitamin D: a natural inhibitor of multiple sclerosis From Colleen E. Hayes Department of Biochemistry, University of Wisconsin-Madison, 433 Babcock
    Disponivel em http://journals.cambridge.org/action/displayFulltext?type=1&fid=796912&jid=PNS&volumeId=59&issueId=04&aid=796900——

    Vitamin D: its role and uses in immunology
    HECTOR F. DELUCA2 and MARGHERITA T. CANTORNA*
    Department of Biochemistry, University of Wisconsin-Madison, Madison, Wisconsin 53706, USA; and
    * Department of Nutrition, Pennsylvania State University, University Park, Pennsylvania 16802, USA
    http://www.fasebj.org/cgi/content/full/15/14/2579 http://www.drtheo.com/vitaminD/documents/VitaminD-itsroleandusesinimmunology.pdf
    (The FASEB Journal. 2001;15:2579-2585.)
    —-

    High prevalence of vitamin D deficiency and reduced bone mass in multiple sclerosis
    http://www.huffingtonpost.com/dr-david-perlmutter-md/vitamin-d-benefits_b_818912.html
    High prevalence of vitamin D deficiency and reduced bone mass in multiple sclerosis
    1. J. Nieves, PhD,
    2. F. Cosman, MD,
    3. J. Herbert, MD,
    4. V. Shen, PhD and
    5. R. Lindsay, MD
    —-

    Vitamin D and the immune system: new perspectives on an old theme
    Endocrinol Metab Clin North Am. 2010 June; 39(2):
    365–379.
    Endocrinol Metab Clin North Am. Author manuscript; available in PMC 2011 June 1.Published in final edited form as:Endocrinol Metab Clin North Am. 2010 June; 39(2): 365–379. doi: 10.1016/j.ecl.2010.02.010

    Martin Hewison, PhD
    Martin Hewison, Professor in Residence, Department of Orthopaedic Surgery and Molecular Biology Institute, David Geffen School of Medicine at UCLA, 615 Charles E. Young Drive South, Los Angeles, CA 90095, USA;
    National Center for Biotechnology Information, U.S. National Library of Medicine 8600 Rockville Pike, Bethesda MD, 20894 USA
    http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC2879394/?tool=pubmed
    —-

    Lack of Vitamin D Linked to Alzheimer’s and Vascular Dementia
    Friday, June 05, 2009 by: Sherry Baker, Health Sciences Editor
    Sherry Baker is a widely published writer whose work has appeared in Newsweek, Health, the Atlanta Journal and Constitution, Yoga Journal, Optometry, Atlanta, Arthritis Today, Natural Healing Newsletter, OMNI, UCLA’s “Healthy Years” newsletter, Mount Sinai School of Medicine’s “Focus on Health Aging” newsletter, the Cleveland Clinic’s “Men’s Health Advisor” newsletter and many others.
    Learn more: http://www.naturalnews.com/026392_Vitamin_D_Alzheimers_disease.html#ixzz3HnBD71Qg
    http://www.naturalnews.com/026392_Vitamin_D_Alzheimers_disease.html
    —-

    Factors in human vitamin D nutrition and in the production and cure of classical rickets Sítio canadense sobre e.m. DIRECT-MS
    Fatores nutricionais e suplementares relacionados à esclerose múltipla. http://www.direct-ms.org/
    —-

    “It is plausible that some 200 cases a year of MS might be prevented in Scotland alone by giving vitamin D to mothers and children,” he wrote.

    disponivel em http://www.timesonline.co.uk/tol/life_and_style/health/article5663483.ece-Vitamin D is ray of sunshine for multiple sclerosis patient
    —-

    Vitamin D in preventive medicine: are we ignoring the evidence? Vitamin D in preventive medicine: are we ignoring the evidence? A vitamina D em medicina preventiva: estamos ignorando as provas? Vitamina D em medicina preventiva: estamos ignorando as provas?
    Dispoível em
    http://64.233.163.132/translate_c?hl=pt-BR&langpair=en%7Cpt&u=http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/12720576&prev=/translate_s%3Fhl%3Dpt-BR%26q%3DVitamina%2BD%2Be%2Bdepress%25C3%25A3o%26sl%3Dpt%26tl%3Den&rurl=translate.google.com.br&usg=ALkJrhjspQEBlxCMyClVGNWHjrZsYK2BOA
    Vitamin D supplementation: Recommendations for Canadian mothers and infants. A suplementação de vitamina D: Recomendações para as mães e bebês canadenses.. Paediatr Child Health. . Paediatr Child Health. 2007 Sep; 12(7):583-98. 2007 Sep; 12 (7) :583-98.[Paediatr Child Health. [Paediatr Child Health. 2007] 2007]

    Review Vitamin D and disease prevention with special reference to cardiovascular disease. Review vitamina D e prevenção de doenças, com especial referência à doença cardiovascular.Prog Biophys Mol Biol. Prog Biophys Mol Biol. 2006 Sep; 92(1):39-48. 2006 Sep; 92 (1) :39-48. Epub 2006 Feb 28. Epub 2006 Feb 28.[Prog Biophys Mol Biol. [Prog Biophys Mol Biol. 2006] 2006]

    Vitamin D in health and disease. Vitamina D na saúde e na doença.Clin J Am Soc Nephrol. Clin J Am Soc Nephrol. 2008 Sep; 3(5):1535-41. 2008 Sep; 3 (5) :1535-41. Epub 2008 Jun 4. Epub 2008 Jun 4.[Clin J Am Soc Nephrol. [Clin J Am Soc Nephrol. 2008] 2008]

    Review Sunlight and vitamin D for bone health and prevention of autoimmune diseases, cancers, and cardiovascular disease. Review Luz solar e vitamina D para a saúde óssea e prevenção de doenças auto-imunes, câncer e doenças cardiovasculares.Am J Clin Nutr. Am J Clin Nutr. 2004 Dec; 80(6 Suppl):1678S-88S. 2004 Dec; 80 (6 Suppl): 1678S-88S.[Am J Clin Nutr. [Am J Clin Nutr. 2004] 2004]
    —-

  4. Importancia da vitamina D e do metabolismo « Objeto Dignidade Says:

    [...] Vitamina D pode revolucionar o tratamento da esclerose múltipla* [...]

  5. Cristiane Rozicki Says:

    Nos países eslavos, a população movimenta-se para que o governo forneça as vitaminas, especialmente a D. Nos EUA, os cientistas requerem ao governo – ver a Times -, a suplementação de vitamina D para assegurar a população do desenvolvimento de varias doenças, alem da esclerose múltipla, o cancro, as diabetes e outras autoimunes. Custa mais caro, em termos de desperdício em recursos financeiros e humanos, deixar uma nação com altos índices de pessoas doentes, do que investir na Medicina Preventiva e oferecer uma dieta verdadeiramente saudável.

    A neurodegeneração é resultado de distúrbio metabólico. Há meio de prevenir a degeneração do sistema nervoso central: basta exame de dosagem das vitaminas no sangue – como a B2 ou Riboflavina, a D – e a eliminação de outros fatores desencadeantes: evitar o desgaste emocional e eliminar da dieta alimentar a carne vermelha.

    Baixos índices de vitamina D no sangue estão diretamente associados ao estresse emocional ou sofrimento. Em casos de doenças auto-imunitárias, tais como a esclerose múltipla, artrite reumatoide, psoriase, hipertireoidismo, hipotireoidismo, lupus, vitiligo, por exemplo, existe deficiência de vitamina D confirmada em exames de sangue.

    ◊ Dr. Cícero Galli Coimbra
    Médico Neurologista e Professor Livre-Docente
    Departamento de Neurologia e Neurocirurgia – Universidade Federal de São Paulo – Unifesp/EPM – Sofrimento emocional. – Em defesa da administração de doses elevadas de riboflavina associada à eliminação dos fatores desencadeantes no tratamento (…).
    Disponivel em
    http://www.unifesp.br/dneuro/nexp/riboflavina/c.htm
    ◊ Parkinson – riboflavin and the elimination of dietary red meat promote the recovery
    Abstract:
    “Abnormal riboflavin status in the absence of a dietary deficiency was detected in 31 consecutive outpatients with Parkinson’s disease (PD), while the classical determinants of homocysteine levels (B6, folic acid, and B12)… received riboflavin orally (30 mg)”.
    Disponivel em
    http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-879X2003001000019&lng=pt&nrm=iso

    POR Dr. Cícero Galli Coimbra

    Vitamina D pode revolucionar o tratamento da esclerose múltipla*

    http://biodireitomedicina.wordpress.com/2010/08/03/vitamina-d-pode-revolucionar-o-tratamento-da-esclerose-multipla/

    Vitamina D pode revolucionar o tratamento da esclerose múltipla* « Celso Galli Coimbra – OABRS 11352
    http://www.caasp.org.br/Noticias.asp?cod_noticia=1679
    *Matéria publicada originalmente no Jornal do Advogado, edição de maio de 2010.
    —-
    A Entrevista com Dr. Cícero Galli Coimbra. Evitar o envelhecimento e a perda de neuronios. Cura de doenças neurodegenerativas e autoimunitarias
    http://mais.uol.com.br/view/85r7d735pwrw/sistema-nervoso-0402336EE4B96346?types=Ahttp://mais.uol.com.br/view/85r7d735pwrw/sistema-nervoso-0402336EE4B96346?types=A
    —-
    POR Dr. Cícero Galli Coimbra
    “Pesquisas do Mount Sinai Hospital, do Canadá, indicariam que doenças como transtorno bipolar, autismo, mal de Alzheimer e esquizofrenia são mais comuns em pessoas que nascem em estações do ano como outono e inverno, quando receberiam menos sol, isto é, uma quantidade menor da fonte natural de vitamina D.”

    Vitamina D é importantíssima para a saúde
    http://biodireitomedicina.wordpress.com/2009/09/22/vitamina-d-e-importantissima-para-a-saude/

    “Estudos realizados no Brasil e no exterior apontam a importância da substância na prevenção e no tratamento do câncer, diabetes e de doenças neurológicas, cardiovasculares e até degenerativas, como a esclerose múltipla.”

    “Antigamente indicada para evitar o raquitismo na infância (quem não ouviu falar do famoso óleo de fígado de bacalhau?), a ciência ‘redescobre’ a vitamina D como poderoso preventivo da osteoporose e outras doenças do envelhecimento. “Pesquisas recentes também revelaram a ação positiva da substância nos sistemas nervoso e imununológico”, diz o neurologista Cícero Galli Coimbra, coordenador do Laboratório de Fisiopatologia Clínica e Experimental da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Coimbra destaca que apenas sobre a esclerose múltipla, por exemplo, existem cerca de 700 artigos médicos internacionais, que atribuem a essa vitamina o papel de estimular as conexões dos neurônios. “Isso sem falar de estudos que mostram também a sua contribuição para a melhoria da qualidade de vida dos portadores de câncer, artrite reumatóide, vitiligo, psoríase, hiper e hipotireoidismo, entre outras patologias”, acrescenta.”

    A Vitamina D é importantíssima para a saúde 22/09/2009
    Estudos realizados no Brasil e no exterior apontam a importância da substância na prevenção e no tratamento do câncer, diabetes e de doenças neurológicas, cardiovasculares e até degenerativas, como a esclerose múltipla.
    http://biodireitomedicina.wordpress.com/category/a-prevencao-de-doencas-neurodegenerativas/
    —-

    A importância da colina para a regeneração neuronal
    “A colina é especialmente importante na gravidez. “Vários estudos já mostraram que ela é tão ou mais importante do que o ácido fólico durante a gestação”
    Cícero Galli Coimbra
    http://veja.abril.com.br/041006/p_104.html

  6. Celso Galli Coimbra Says:

    Assitam ao vídeo: Vitamina D – por uma outra terapia

  7. Vitamina D: A Desinformação Médica e o Direito à Informação do Cidadão « Objeto Dignidade Says:

    [...] Vitamina D pode revolucionar o tratamento da esclerose múltipla [...]

  8. Cristiane Rozicki Says:

    Vitamin D: a natural inhibitor of multiple sclerosis

    Colleen E. Hayes
    Department of Biochemistry, University of Wisconsin-Madison, 433 Babcock Drive, Madison, Wisconsin 53706, USA

    Proceedings of the Nutrition Society (2000), 59, 531–535
    Abbreviations: EAE, experimental autoimmune encephalomyelitis; 1,25-(OH)2D3, 1,25-dihydroxycholecalciferol; MS, multiple sclerosis; VDR, vitamin D receptor.
    Corresponding author: Professora C. E. Hayes, fax +1 608 262 3453, email hayes@biochem.wisc.edu

    Vitamin D: a natural inhibitor of multiple sclerosis
    Disponivel em http://journals.cambridge.org/action/displayFulltext?type=1&fid=796912&jid=PNS&volumeId=59&issueId=04&aid=796900

    A herança genética de fatores de risco para a esclerose múltipla (MS) não é suficiente para causar a doença desmielinizante do sistema nervoso central, a exposição a fatores de risco ambiental também é necessária. MS pode ser prevenida se esses fatores ambientais identificados puderem ser evitados. A prevalência de MS aumenta com a diminuição da radiação solar, o que sugere que a luz solar pode ser protetora em MS. Desde que o sistema endócrino da vitamina D é primorosamente sensível à luz solar, e a prevalência de MS é a mais elevada nos ambientes onde o abastecimento de vitamina D são menores, propusemos que o hormônio, a 1,25- diidroxicolecalciferol (1,25 – (OH) 2D3), pode proteger os indivíduos geneticamente suscetíveis de desenvolver esclerose múltipla. Evidências consistentes com essa hipótese vêm não só dos estudos geográficos, mas também de estudos genéticos e biológicos. Sobre-representação do gene do receptor de vitamina D b alelo foi encontrado MS em pacientes japoneses, sugerindo que pode conferir a suscetibilidade de MS. Óleo de peixe é uma excelente fonte de vitamina D, e as dietas ricas em peixe podem diminuir a prevalência ou a severidade da MS. A deficiência de vitamina D aflige a maioria dos pacientes com esclerose múltipla, como ficou demonstrado pela sua baixa massa óssea e elevados índices de fracturas. No entanto, a mais clara evidência de que a vitamina D pode ser um inibidor natural da MS vem de experiências com encefalomielite auto-imune experimental (EAE), um modelo de MS. O tratamento de camundongos com 1,25 – (OH) 2D3 inibiu completamente a indução da EAE e sua progressão. O hormônio estimulou a síntese de duas citocinas anti-encephalitogenicas, e influenciou o tráfico de células inflamatórias ou apoptose e o fator de crescimento foi alterado com interleucina 4 r . Se a vitamina D é um inibidor natural de esclerose multipla – MS, é aconselhável fornecer suplemento de vitamina D para pessoas que estão com esclerose múltipla e para todas que estão em risco de desenvolver esta doença metabólica neuro-degenerativa, desmielinizante, a esclerose múltipla – EM ou MS.

  9. Celso Galli Coimbra Says:

    Reblogged this on Celso Galli Coimbra – OABRS 11352e comentado:

    “Nas células do sistema imunológico, a vitamina D tem a função de produzir o que se chama de tolerância imunológica, ou seja, de impedir que essas células agridam o próprio organismo, que é o que acontece nas doenças autoimunitárias”, explica Coimbra. Nas pessoas com pré-disposição genética para doenças autoimunitárias, a transformação da vitamina D inativa em ativa (hidroxilase) dentro das células do sistema imunológico é lenta, o que favorece o surgimento desse tipo de doença. “Hoje, já se sabe que o risco de esclerose múltipla aumenta quando se têm níveis baixos de vitamina D. O que propomos é a elevação dos níveis de vitamina D ao ponto máximo que não provoque efeitos tóxicos ao organismo. O sucesso do tratamento com vitamina D vem sendo demonstrado e a única dúvida que resta é quanto aos níveis que se devem atingir para que se obtenha o efeito ideal”, esclarece.

  10. Vitamina D: Níveis baixos aumentam risco de infecções respiratórias no bebé « Objeto Dignidade Says:

    [...] Vitamina D pode revolucionar o tratamento da esclerose múltipla* [...]

  11. Crianças que tomam pouco sol têm mais risco de ter asma, diz estudo « Objeto Dignidade Says:

    [...] Vitamina D pode revolucionar o tratamento da esclerose múltipla* [...]

  12. Vitamina D: solução para doenças autoimunitárias e neurodegenerativas « Objeto Dignidade Says:

    [...] Vitamina D pode revolucionar o tratamento da esclerose múltipla [...]

  13. Marleny Modolin Says:

    Gostaria de saber porque todo neurologista que eu perguntei minha filha tem esclerose multipla, teve um surto agora ficamos fazendo pulsoterapia no hospital, todos os neurologista que trataram foram enfatico em dizer que não tem enbasamento cientifico e que é uma bobagem acreditar nisso, gostaria muito de saber porque tanta aversão a este tratamento. Obrigada

  14. Celso Galli Coimbra Says:

    PORQUE eles estão ou desinformados sobre a atualização do conhecimento médico científico ou porque estão defendendo interesses corporativos e econômicos estranhos ao melhor atendimento à saúde do paciente, especialmente o interesse da indústria farmacêutica, que tem como maior pagador o Governo Brasileiro por doenças que podem ser prevenidas e/ou curadas.

    PORQUE certas doenças são de maior interesse manter do que investir em PREVENÇÃO, saúde e cura, pois estas doenças dão um enorme lucro para uma miríade de interesses corruptos e há consultórios especializados em doenças neurodegenerativas que lucram muito em não ter estes pacientes curados ou com a possibilidade já presente de estas doenças poderem ser prevenidas.

    PORQUE os potencias pacientes – que são todas as pessoas cidadãs – e os já pacientes não EXIGEM o DIREITO À SAÚDE e o DIREITO À INFORMAÇÃO – garantidos a todos na Constituição Federal do Brasil – sobre o que importa para que sua saúde seja PRESERVADA, deixando de entender e exigir que estes direitos são seus e – no momento em que o desatendimento a eles se configurar em DANO À SAÚDE de paciente, o Médico que permitiu isto, ainda que por mera desinformação e não por razões outras, COMETEU CRIME DE AÇÃO PENAL PÚBLICA.

    Você pode acessar os seguintes endereços, onde encontrará reunidos diversos pacientes do Dr. Cícero Galli Coimbra, que trocam informações sobre o que lhe angustia, e que certamente lhe será de grande auxílio:

    1.
    https://www.facebook.com/VitaminaDPorUmaOutraTerapia

    2.
    http://vitaminadporumaoutraterapia.wordpress.com/contatos-de-medicos/

    3.
    https://www.facebook.com/groups/190960337581683/

    Celso Galli Coimbra
    OABRS 11.352
    http://biodireitomedicina.wordpress.com/
    https://www.youtube.com/user/biodireitobioetica/
    Email: cgcoimbra@gmail.com

  15. Celso Galli Coimbra Says:

    Você pode acessar os seguintes endereços, onde encontrará reunidos diversos pacientes do Dr. Cícero Galli Coimbra, que trocam informações sobre o que lhe angustia, e que certamente lhe será de grande auxílio:

    1.
    https://www.facebook.com/VitaminaDPorUmaOutraTerapia

    2.
    http://vitaminadporumaoutraterapia.wordpress.com/contatos-de-medicos/

    3.
    https://www.facebook.com/groups/190960337581683/

    Celso Galli Coimbra
    OABRS 11.352
    http://biodireitomedicina.wordpress.com/
    https://www.youtube.com/user/biodireitobioetica/
    Email: cgcoimbra@gmail.com

  16. Vitamina D pode revolucionar o tratamento da esclerose múltipla « Objeto Dignidade Says:

    [...] Vitamina D pode revolucionar o tratamento da esclerose múltipla* [...]

  17. Esclerose múltipla, distúrbio metabólico, atualizado em 7/fevereiro/2013 « Objeto Dignidade Says:

    [...] D pode revolucionar o tratamento da esclerose múltipla* http://biodireitomedicina.wordpress.com/2010/08/03/vitamina-d-pode-revolucionar-o-tratamento-da-escl… *Dr. Cícero Galli Coimbra PHD Médico Neurologista e Professor [...]

  18. José Fcº Silvestre Says:

    A Vit. “D” está indicada p/ a Esclerose Lateral Primária”? Grato.

  19. Como a vitamina D trabalha no seu corpo? | Objeto Dignidade Says:

    [...] Vitamina D pode revolucionar o tratamento da esclerose múltipla* [...]

  20. Esclerose múltipla – sobre a gravidade da deficiência desse hormônio | Objeto Dignidade Says:

    [...] D pode revolucionar o tratamento da esclerose múltipla* http://biodireitomedicina.wordpress.com/2010/08/03/vitamina-d-pode-revolucionar-o-tratamento-da-escl… *Dr. Cícero Galli Coimbra PHD Médico Neurologista e Professor [...]


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 4.598 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: